domingo, 15 de março de 2009

CRÍTICA - TEMOS VAGAS


Os filmes de horror tem seus momentos de alta e baixa, e ultimamente, graças à franquia "Jogos Mortais" a onda é de filmes gore: Quanto mais podemos sentir a dor dos personagens, melhor (pelo menos presumem os produtores). Chegamos então a "Temos vagas", um filme que explora a prática dos snuff movies, que são filmagens reais de pessoas sendo assassinadas. No filme, David (Luke Wilson) e Amy (Kate Beckinsale)acabam se deparando com um motel onde as pessoas realizam essa prática: O local é uma espécie de "set" de filmagem e logo eles percebem que estão prestes a virar as próximas "estrelas".
Se não acrescenta muito ao gênero, "Temos vagas" ao menos garante boa dose de tensão, fazendo do filme um verdadeiro jogo de "gato e rato", daqueles que você fica torcendo para as pessoas conseguirem correr ou chegar a tempo antes que uma porta se feche. Se não há sangue em excesso (feliz ou infelizmente?), há cenas insinuadas que garantem o horror só pelas expressões dos personagens. Kate entrega uma interpretação mais consistente que a de Luke, que assim como o irmão Owen Wilson, parece sempre pensar que está em uma comédia. O filme tem seus momentos, mas vai perdendo a força no final, onde ao contrário de filmes recentes que chegam a incomodar o espectador, como "Violência gratuita" e "Os estranhos", não tem coragem de radicalizar.

TEMOS VAGAS (Vacancy)
Direção: Nimrod Antal
Com: Kate Beckinsale, Luke Wilson, Frank Whaley
EUA, 2007

Um comentário:

esdras b disse...

Assisti á TEMOS VAGAS e gostei, é um filme de horror sutil q me agrada, sem aquele excesso de violência e sangue q me embrulha o estômago. Certamente ñ se trata de um grande filme, mas tbm ~ñ é um filme descartável, tanto q já fizeram a continuação. TEMOS VAGAS 2 já está nas locadoras e eu qro assistir.

Ps.: André, vê se ñ demora tanto pra postar viu, sinto falta dos teus posts. Abços!!!