sexta-feira, 27 de março de 2009

CRÍTICA - O LUTADOR


A certa altura de "O Lutador", os personagens Randy "The Ram" (Mickey Rourke) e Cassidy (Marisa Tomei) estão em um bar e ela comenta: "Os anos 80 foram a melhor época". Ele complementa: "Os anos 90 foram uma merda". Esse momento é apenas um entre muitos no filme que acabam fazendo paralelo entre a história do personagem e do próprio ator. Rourke surgiu nos anos 80 cheio de moral, encabeçando o elenco de sucessos como "Coração satânico" e "9 1/2 semanas de amor" e era saudado tanto como ator quanto como galã. Porém, no inicio dos anos 90, sua decisão de se tornar boxeador o levou cada vez mais ao ostracismo em Hollywood e deformações no rosto, que nunca mais voltou a ser o mesmo. Quando tudo parecia acabado, MIckey deu a volta por cima em "Sin City", graças ao visionário Robert Rodriguez e acabou se consagrando aqui nesse filme, pelo qual recebeu (ou foi indicado) a praticamente todos os prêmios de melhor atuação masculina de 2008.
Voltando ao filme, "O lutador" é uma declaração de amor de um homem a seu trabalho. Ele não sabe fazer outra coisa e mesmo quando tenta dá tudo errado. Seja em um trabalho convencional, numa tentativa de relação com uma mulher ou no trato com a filha: Nada dá certo. É só lá no ringue que "The Ram" dá o seu melhor, mesmo que o passar do tempo não esteja ao seu favor. As cenas de luta são impressionantemente violentas e mesmo com o diretor deixando claro que os resultados são armados, as pessoas aqui lutam pra valer e o excesso de sangue jorrando comprova isso. Mickey Rourke ganhou aqui o personagem de sua vida e tira bom proveito disso, em cada fala, reação de ódio, complacência ou lágrima. Ele parece se identificar tanto com o personagem, que soa natural (mas nunca naturalista) o tempo todo. Marisa Tomei, uma atriz sempre subestimada, mais uma vez mostra o talento e sua stripper encontra paralelo com o personagem principal, visto que ambos são bons no que fazem, mas já sentem o peso da idade e já não fazem o sucesso de outrora. E a jovem Evan Rachel Wood (que apareceu em "Aos treze") mostra mais uma vez talento como a filha do lutador. O final, assim como o filme, deixa mais uma vez a sensação que nada precisa ser tão explicado. Basta sentir, perceber. É só se deixar envolver.

O LUTADOR (The Wrestler)
Direção: Darren Aronosfky
Com: Mickey Rourke, Marisa Tomei, Evan Rachel Wood
EUA, 2008

Um comentário:

esdras b disse...

Eu qro tanto ver esse filme!!!
Me emocionei só de ver o trailler, parece bárbaro!!!

Abços!!!